Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR

Homens héteros sentem atração por mulheres trans mas escondem, diz o ator Nacho Vidal

Nacho Vidal, o ator pornô cisgênero mais conhecido da Espanha, deu novas declarações sobre relacionamentos entre mulheres trans e homens héteros.

Ele que no último ano revelou ter uma filha trans, declarou em nova entrevista que acredita que 90% dos homens heterossexuais e cisgêneros sentem atração por mulheres trans e não expõem o desejo publicamente.

“Eu acredito que 90% dos homens gostam de mulheres transexuais e escondem”, declarou ele ao El Español.

Segundo o ator, um reflexo desta atração pode ser visto até mesmo no universo pornô, uma vez que a pornografia com mulheres trans repercute e traz retorno muito maior que a pornografia com mulheres cis. Ele exemplifica em números: “Sai muito mais filmes com mulheres trans. Vendo 5.000 DVDs de um filme com garotas cis e 125.000 com garotas transexuais”.

O dado pode ser aplicado também no Brasil. Segundo o levantamento do site de vídeos pornôs RedTube, o Brasil é o país que mais procurou conteúdo adulto com travestis e mulheres trans em 2019. “Você tem 89% mais chances de pesquisar sobre transexuais se estiver no Brasil”, diz a pesquisa do site. Dentre os termos mais usados são “shemale”, “trans”, “travesti” e “brazilian shemale”.

Para ele, os homens evitam falar sobre a atração por pessoas trans porque sentem medo de que se tornem alvo do preconceito da sociedade. “Eles (os homens) escondem isso porque não querem que as pessoas apontem o dedo para eles”. Vidal declara, contudo que não gosta de se rotular: “Eu odeio rótulos. Eu não gosto de ‘sou hétero, sou gay, sou trans, sou bi’. Eu sou. Há muito tempo disse: Eu sou e sou quem eu quero ser”.

Vale dizer que o fato de homens héteros cisgêneros sentirem atração por mulheres trans e travestis não é novidade.

Até porque mulheres trans e travestis também são mulheres – independentemente do genital de nascimento. E a relação trata-se de uma relação heterossexual, uma vez que envolve pessoas de gêneros diferentes: um homem (cis ou trans) e uma mulher (seja ela cis ou trans). O problema é que em uma sociedade cisnormativa e transfóbica a identidade de gênero da mulher trans ou travesti é constantemente deslegitimada e como esta sociedade também é homofóbica seus parceiros não querem ser vistos como gays.

Contudo a entrevista de Vidal ajuda a traçar perfis, tira o véu da hipocrisia e entende o lugar onde querem e aceitam as travestis. Diversas mulheres trans apontaram nas redes sociais para as transfobias do cotidiano, que permeiam contradições no discurso de muitos parceiros e na procura até mesmo por quem diz as condenar.

Gostou deste texto? Curta, compartilhe e encaminhe para seus amigos e quem você achar que precisa de mais informações sobre o universo das mulheres trans.

A informação adequada tem o poder de quebrar falsos paradigmas e modelos sociais que não fazem mais sentido nos dias em que vivemos. Viva as mulheres trans e todas as formas de amar!!

Segunda, 06 de Julho de 2020 Terça, 07 de Julho de 2020 às 03:33